Construtivo

Newsletter Edição 09/2020

Newsletter Edição 09/2020

Notícias
Construtivo lança visualizador em BIM para supervisão de obras

A revolução do processo construtivo por meio de soluções de Inteligência Digital é uma das premissas do Construtivo. Por isso, a empresa lança sua própria solução de visualização em BIM, oferta que antes era fornecida pela empresa por meio de empresas parceiras.

Diferente das demais soluções do mercado, que são utilizadas em projetos, a proposta do Construtivo é voltada a supervisão de obras. O modelo permite visualizar, de forma integrada, vários aspectos, como a arquitetura e os sistemas hidráulico e elétrico, garantindo o controle das obras e a ampliação da produtividade.

“O principal objetivo da solução é realizar o acompanhamento das obras de maneira mais segura, garantindo a execução correta dos projetos para evitar o retrabalho, além de agilizar a comunicação”, comenta Marcus Granadeiro, CEO do Construtivo.

Outro diferencial da solução é não transitar dados para outras plataformas. Este aspecto está adequado à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais), que acaba de entrar em vigor, sobretudo quando a ferramenta é comparada com as plataformas estrangeiras, cuja guarda de dados é um ambiente sobre o qual não se tem conhecimento.

Realidade Virtual compartilhada para revisar projetos à distância

A Plataforma VR Collab, que envolve a tecnologia de Realidade Virtual compartilhada para revisar e coordenar projetos desenvolvidos em BIM (Building Information Modeling), é uma aposta do Construtivo para esse momento de distanciamento social em virtude da pandemia da Covid-19.

Isso porque a solução permite interagir e explorar as revisões, as aprovações de requisitos e a coordenação da construção de forma on-line a partir de diferentes localizações e dispositivos, como óculos de VR, desktop ou em uma tela de projeção. A solução vem sendo adotada por empresas que querem manter a agilidade no processo de revisão de suas obras sem depender de reuniões presenciais entre os responsáveis.

“Como há profissionais de diversas áreas envolvidos nestas interações de revisão e validação do andamento das obras, que envolve estrutura, geotécnica, mecânica, tubulações, elétrica e automação, entre outras, ter um processo on-line acelera as rotinas sem perder a segurança do distanciamento social”, explica o CEO do Construtivo, Marcus Granadeiro.

As revisões de projetos dentro do modelo BIM a partir do VR Collab resultam na otimização do tempo e custo das áreas envolvidas e, com isso, o processo tende a ficar mais colaborativo e ágil, permitindo que o segmento de engenharia e construção consiga evoluir na concepção e entrega de seus empreendimentos mesmo diante da crise.

Agenda

11/09

Webinar sobre o uso da Realidade Virtual pós pandemia com VR Collab
Como realizar suas reuniões de revisão de projetos à distância, o que permite a segurança do distanciamento social? Vamos falar sobre este recurso no nosso webinar, que apresentará esta facilidade com a solução VR Collab, que traz a Realidade Virtual compartilhada para coordenar projetos desenvolvidos em BIM. Na ocasião apresentaremos um modelo que substitui as telas do computador.

25/09

Webinar sobre a aplicação BIM na prática
Qual a estratégia da Arc Solution na utilização do BIM para atender à localização de projetos de estabelecimentos comerciais estrangeiros no Brasil? Neste webinar mostraremos na prática como a empresa tem utilizado o modelo para suas rotinas diárias.

Dica do Fabiano
Recursos para aumento de produtividade – Pesquisa

O Colaborativo possui o recurso de pesquisa, uma lupa na parte superior direita das áreas de trabalho, que pode ser utilizado de forma bem mais interessante do que realizar esporádicas pesquisas. A dica é utilizar este recurso no dia a dia e de forma recorrente, associado às atividades rotineiras e aos processos.

Vamos imaginar que um dos processos de trabalho do usuário é realizar análises críticas de todos os documentos cadastrados, em diferentes obras, com inúmeras pastas por obra, além de verificar os status de determinados documentos como, por exemplo, se está “Validado”, para avisar um colega ou tomar ação.

Basta ele criar uma pesquisa, como a indicada na imagem acima, baseada em estados de fluxo, e aplicá-la para toda a área. Como será algo que fará frequentemente, é possível salvá-la com um nome sugestivo, como “ToDos”, conforme a imagem abaixo.

Pronto! O dia a dia do usuário será entrar na ferramenta, chamar a pesquisa “ToDos” e checar os trabalhos que existem. Ao chamar a pesquisa e nada for apresentado significará “trabalho feito”. Dois cliques, muito mais eficaz que ficar recebendo e gerenciando notificações de e-mail.

Artigo
O uso da Realidade Virtual no cenário pós-Covid

por Marcus Granadeiro*

A atual pandemia vem influenciando de forma inequívoca a adoção de novas tecnologias, acelerando a digitalização bem mais que qualquer um dos outros fatores de indução. Em nosso mercado a repercussão ocorre em todas as fases. Vemos novos métodos de venda, reuniões de projeto por videoconferência e gestores de obra se reinventando, isso sem falar em todos os impactos no uso e na operação.

Algumas tecnologias, como videoconferência e assinatura digital, foram claramente incentivadas por motivos óbvios, porém nem todas as tecnologias têm esta relação direta tão óbvia. Como ficará a Realidade Virtual? Soluções que têm como premissa a utilização de óculos compartilhados por diversas pessoas terão futuro? Seria a Covid-19 responsável pela morte da Realidade Virtual?

O nosso palpite é que não. É certo que soluções como óculos em estandes de vendas de imóveis a serem compartilhados por clientes devem acabar, pelo menos até a questão da insegurança da doença ser resolvida de uma forma ou de outra. Se este dispositivo já enfrentava resistências em função de uma possível transmissão de conjuntivite, por exemplo, imagina no atual cenário. Por outro lado, as soluções baseadas em dispositivos móveis devem aflorar, pois também serão “empurradas” pelas aplicações para a tecnologia 5G.

Lá fora as soluções de Realidade Virtual focadas em projeto estão migrando para a colaboração. Esta deve ser a tendência a partir da realização sofisticada de videoconferências com “passeios virtuais” pelo modelo, em conjunto e de modo síncrono, gerando registros para alimentar o workflow de análises críticas ou integração entre obra e projeto. A utilização dos óculos, que passarão a ser um acessório pessoal vinculado ao computador, assim como se tem o mouse e o monitor, é um detalhe.

Sem menosprezar, este “detalhe” é o grande valor agregado da Realidade Virtual. Ao colocar os óculos conseguimos ter a real dimensão do que está sendo projetado ou construído, o que nos empodera de uma visão tridimensional que apenas poucos engenheiros ou arquitetos possuem.
Façam suas apostas.

*Marcus Granadeiro é engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da USP, presidente do Construtivo, empresa de tecnologia com DNA de engenharia e membro da ADN (Autodesk Development Network) e do RICS (Royal Institution of Chartered Surveyours).