Construtivo

Newsletter Edição 05/2022

Newsletter Edição 05/2022

Notícias

Nova solução: Colaborativo Share traz Realidade Aumentada

Novo recurso em nuvem envolve Realidade Aumentada para auxiliar processos de fiscalização, documentação e vistorias de obras

Lançamos o Colaborativo Share, uma solução em nuvem com Realidade Aumentada que aprimora o processo de fiscalização e documentação das obras, assim como apoia as rotinas de manutenção, por meio da Realidade Virtual.

A tecnologia é acessada utilizando óculos, tablet ou celular e possibilita o registro pela sobreposição dos dados virtuais com a realidade construída em escala real, auxiliando o processo de vistorias que estejam em localidades distantes, por exemplo.

“Enquanto um profissional em campo acessa o Colaborativo Share e compartilha as informações sobre a obra, o engenheiro realiza a vistoria de outra localidade, no formato on-line, utilizando os recursos do modelo ao vivo ou gravado, atribuindo suas aprovações e recomendações num workflow, que depois pode ser acessado em outras ocasiões”, explica nosso CEO, Marcus Granadeiro.

A ferramenta também se integra a modelos BIM (Building Information Modeling), o que permite mapear e visualizar as disciplinas de uma construção como, por exemplo, o posicionamento de tubulações, vigas, pilares e encanamentos.

Além disso, o recurso de tour virtual promovido pelo Colaborativo Share também pode ser utilizado em organizações que forneçam capacitação e suporte remoto para solucionar problemas de manutenção e atendimento ao cliente com assistência visual utilizando recursos do QR Code, por exemplo.

Coordenação de projetos: como gerenciar as ocorrências (issues) em modelos BIM

Dando continuidade à série que detalha o nosso apoio às empresas na adoção do BIM, nesta edição vamos tratar do “Gerenciamento de ocorrências (issues) em modelos BIM”

Sabemos que o gerenciamento de uma obra no modelo BIM (Modelagem da Informação da Construção) incide num volume intenso de troca de informações entre os participantes, o que é considerado um grande desafio. Interferências entre disciplinas, dúvidas sobre a obra, comentários dos stakeholders e respostas de projetistas são alguns dos trâmites de informações que podem ser gerenciados por meio de ocorrências (issues).

Nesse caso, a comunicação entre os participantes do processo BIM deve ser realizada no próprio modelo, que é baseado em formato aberto e denominado BCF. É importante frisar que as issues, dentro do processo BIM, são completas e vão além de simples anotações, pois estão associadas a elementos do modelo e contêm um histórico de discussão e um workflow.

A gestão das issues engloba desenvolvimento de fluxos específicos para cada tipo de necessidade, controle de responsáveis, prazos e geração de métricas. O grande diferencial deste gerenciamento é a integração do BIM com processos contratuais e com o Colaborativo, que será responsável por reunir medições, contratos e reuniões aos issues e às ocorrências apontadas nos modelos BIM.

Missão internacional Amcham Brasil: Construtivo embarca para os EUA em busca por mais inovação e tendências

Nosso CEO, Marcus Granadeiro, vai ao Vale do Silício e ao Silicon Hills para identificar tendências e oportunidades disruptivas que podem ser aplicadas ao mercado brasileiro de engenharia e construção

Durante os dias 07 e 13 de maio, em São Francisco, na Califórnia, e em Austin, no Texas, nosso CEO, Marcus Granadeiro, participará da ‘Missão Internacional: Valley & Hills: Inovação nos Estados Unidos e negócios do amanhã’, realizada pela Amcham Brasil.

O encontro internacional se propõe a preparar executivos para capturar oportunidades em inovação e tecnologia, oferecendo novos conhecimentos, competências e insights que possam proporcionar um novo mindset aplicável a negócios no mundo pós-pandemia. O foco é preparar c-levels, vice-presidentes, diretores e heads de áreas que sentem a urgência de acompanhar o que acontece em inovação nos EUA para abrir horizontes para seu negócio ou área de atuação.

A jornada também contará com reuniões de benchmarking com lideranças de empresas que são reconhecidas como promotoras de tendências. Entre elas estão a Salesforce, o DocuSign, a Cisco, o Netflix, a Dell e a Army Futures Command.

Considerado um dos mais importantes hubs tecnológicos do mundo, o Vale do Silício se destaca por seu histórico em inovação e geração de oportunidades em escala global. No que tange às novas tendências, Austin é responsável por liderar a nova era para as empresas de tecnologia com seu novo “Silicon Hills”.

“Participar da Missão da Amcham permitirá ao Construtivo um novo olhar em relação às tendências e tecnologias mundiais, garantindo um passo à frente das ferramentas e técnicas que já estão disponíveis no mercado. A meta é buscar iniciativas disruptivas que possam promover inovações constantes no setor de A&E”, comenta Marcus Granadeiro, CEO do Construtivo.

07/05

às 11h

Colaborativo Share: vistorias e inspeções remotas

Apresentação: Cesar Calderaro, diretor de inovação em BIM.

Como utilizar o Colaborativo Share para realizar vistorias e inspeções remotas?

Assista nosso próximo webinar e aprenda como realizar vistorias e inspeções remotas. O diretor de inovação em BIM do Construtivo, Cesar Calderaro, mostrará todos os processos do Colaborativo Share, nossa solução em nuvem recentemente lançada e que possui Realidade Aumentada e Realidade Virtual, tecnologias imprescindíveis para acompanhar processos que estão em diferentes localidades geográficas.

Dica do mês

Explorando os relatórios online do Colaborativo Projetos

O Colaborativo Projetos possui uma série de relatórios nativos, que vão além dos simples recursos de consulta, pois são interativos e possuem possibilidade de impressão, download e exportação de dados (CVS). Para aproveitar ao máximo o uso do Colaborativo, é importante conhecer os recursos e incorporá-los aos procedimentos de controle e gestão, deixando que a solução ajude na economia de tempo e na assertividade do trabalho.

Abaixo, detalhamos os relatórios de planejamento, indicado para clientes que utilizam o planejamento de documentos como base para controle das emissões.

Imagem – Botão ‘Planejamento’ disponível na Home do empreendimento

 

Imagem – Relatório ‘Visualiza Planejamento’

O relatório acima está presente na HOME do empreendimento. Nele, é possível ter uma visão global do avanço acumulado, que corresponde a percentuais associados ao fluxo de cada cliente, sendo possível visualizar a lista completa dos documentos previstos e o estado de workflow associado a cada um deles, além de controlar os prazos de previsão, emissão e aprovação de cada documento. Quando um documento ultrapassa o prazo estipulado no planejamento, o relatório indicará o valor em vermelho. Este relatório pode ser exportado em CSV ou impresso.

Já o relatório abaixo, que pode ser encontrado na HOME do empreendimento, possibilita comparar, por meio de um gráfico histograma, os documentos planejados versus emitidos, além de exibir através de uma tabela a relação mensal de documentos planejados, planejados acumulado, emitidos e emitidos acumulados.

Imagem – Relatório ‘Planejados x Emitidos’

Artigo

BIM 4D: a vacina para reduzir riscos e gerir ativos

por Marcus Granadeiro*

O BIM (Modelagem da Informação da Construção) está relacionado a processos e a tecnologias. Porém, essa compreensão não acontece de forma natural e, normalmente, o primeiro entendimento e visão de aplicação do BIM está relacionada ao modelo.

Apenas com o amadurecimento e o maior contato com a tecnologia é que se obtém a compreensão do BIM como um processo que, integrado, cria, utiliza e atualiza um modelo digital de construção acessado por todos os envolvidos num empreendimento durante o ciclo da construção e, posteriormente, na manutenção.

Assim, é comum na introdução ao BIM a busca por contratar modelos 3D, que são objetos carregados digitalmente, ou 4D, ou seja, o planejamento em relação ao cronograma da obra, com a visão da utilização destes modelos como um objeto, um ativo. Estes são casos típicos da compreensão do BIM como modelo, o BIM equivalente a um modelo 3D ou vídeo 4D do avanço da obra.

Este cenário é uma grande incompreensão das potencialidades da tecnologia e é preciso ressaltar que se trata de entregáveis com muito valor, principalmente no seu poder de comunicação. Um 3D com um vídeo do modelo associado a um cronograma tem a capacidade de colocar todos os stakeholders com a mesma visão e entendimento do produto e entrega final. Não podemos desprezar este benefício, inclusive porque é a principal vantagem de processos como as metodologias Scrum, que vão além da decisão sobre o que será feito. A vantagem está no pleno alinhamento pela equipe do que será realizado e porquê.

O grande valor do BIM, no entanto, está no processo de geração destes entregáveis e podemos dizer que nele encontramos nossa vacina contra a falta de qualidade, os atrasos e os estouros de orçamento, pois no BIM 4D controlamos os riscos para que as obras contem com escopo, prazo e custo previstos.

Em se tratando de ganhos reais, estudos apontam que a implementação do BIM em obras de infraestrutura possibilita reduções de 8% a 22% nos custos do empreendimento e diminuição de até 33% nos prazos.

Quando falamos em BIM 4D, o valor está em acompanhar o andamento da obra, comparar impacto das atualizações dos cronogramas e modelos ao longo do tempo, garantir a qualidade da atualização dos dados de campo com evidências, como nuvem de pontos e registros por aplicações em celular, além de gerar gráficos, modelos e indicadores de desempenho.

O valor agregado vem da integração sistêmica do processo, eliminando feudos de informações, represamentos e atrasos nos reportes, reforçando a plena transparência. Assim, o modelo 4D é apenas a consequência do processo.

A discussão e a revisão do Plano de Execução BIM, denominado PEB, para as atividades de supervisão e gerenciamento são medidas fundamentais para a adequada execução que definirá os novos players de gerenciamento nesta transformação digital.

Mais do que competitividade, a indústria da construção civil precisa associar a inovação à maior velocidade, menor investimento e riscos.

*Marcus Granadeiro é engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da USP, presidente do Construtivo, empresa de tecnologia com DNA de engenharia e membro da ADN (Autodesk Development Network) e do RICS (Royal Institution of Chartered Surveyours).

A Transformação Digital é muito mais do que comprar sistemas, atualizar softwares ou treinar equipes.

Leia mais

A adoção de novas tecnologias não acontece de forma uniforme, ela respeita uma distribuição gaussiana.

Leia mais

Tema em discussão desde 2019, o 5G parece entrar na reta final com a formalização do seu edital.

Leia mais