Construtivo

Colaboração no setor de Óleo e Gás: organização, redução de custo e de riscos

Colaboração no setor de Óleo e Gás: organização, redução de custo e de riscos

por Marcus Granadeiro*

A Ferramenta de Colaboração é uma tecnologia que avançou muito no setor de Engenharia na última década, mas ainda está muito aquém do que pode ser aproveitada. É uma tecnologia que nasceu com a Internet, normalmente através da nuvem, em uma modalidade que atualmente chamamos de software como serviço ou SaaS, do inglês, Software as a Service.
Sendo um dos pioneiros deste mercado sempre tive dificuldade de definir e explicar a tecnologia. Ela contém muitos recursos de gerenciamento de documentos, mas não é exatamente um sistema GED/EDMS. Possui a capacidade de automatizar o gerenciamento de processos, porém não é um sistema de BPM. Tem recursos como wiki, blog e fórum de discussão, contudo não é uma simples intranet. Depois de muitos anos no mercado cheguei à conclusão que a melhor definição é a de que se trata de uma plataforma para desenvolver o gerenciamento de processos, documentos e comunicação na nuvem.

Quando se fala em nuvem associada ao modelo de comercialização como serviço, abre-se um leque muito grande de possibilidades, podendo ser aplicado desde uma pequena empresa até aos maiores projetos de infraestrutura do País. Tudo depende do porte, da qualidade do serviço e da segurança contratada.
Começando pelo setor de Óleo e Gás, o grande potencial da aplicação neste segmento está na organização do grande volume de informação desestruturada que é trocada e gerada durante a gestão contratual. Esta organização traz benefícios em termos de redução de custos e redução de riscos contratuais, principalmente quando a parametrização tem uma equipe de advogados para auxiliar na melhor maneira de se organizar e estruturar os documentos, dados e troca de informações.
No setor de infraestrutura, em geral, o conceito de Colaboração também se iniciou com a gestão de documentos de projeto, mas, neste caso, o foco foi muito mais o controle da comunicação, pois os processos já estavam formalizados. Nestes casos, os objetivos são: redução de custo, ganho de agilidade e maior qualidade na prestação do serviço prestado. Outra aplicação forte da tecnologia está na gestão das inspeções e vistorias, pois tudo acontece online, com recursos para garantir mais transparência e garantias, reduzindo os riscos.
Porém o grande potencial da aplicação no setor de óleo e gás está organização do grande volume de informação desestruturada que é trocada e gerada durante a gestão contratual. Esta organização traz benefícios em termos de redução de custos e redução de riscos contratuais, principalmente quando a parametrização tem uma equipe de advogados para auxiliar na melhor maneira de se organizar e estruturar os documentos, dados e troca de informações.
Em um momento como o que estamos vivendo, onde falta engenheiros, onde há muito problema contratual, onde as previsões são extrapoladas e os riscos amplificados não seria o momento de pensar nesta tecnologia ? Tecnologias como as das ferramentas de colaboração podem “azeitar” processos e comunicação nos projetos de infraestrutura trazendo mais produtividade, transparência e resultado.

Marcus Granadeiro é presidente da Construtivo.com, empresa de fornecimento de solução para gestão e processos de ponta a ponta para o mercado de engenharia, com oferta 100% na nuvem e na modalidade de serviço (SaaS).

Sobre o Construtivo.com

O Construtivo, empresa de fornecimento de solução para gestão e processos (começo, meio e fim) para o mercado de Engenharia, com oferta 100% na nuvem e na modalidade de serviço (SaaS), do inglês Software as a Service), foi fundado em 1999 pelo Banco Santander espanhol iniciando suas atividades como prestador de serviços na área de tecnologia voltada à construção civil. Em 2004, a operação brasileira se tornou independente e hoje, a Construtivo.com conta com mais de 20.000 usuários, além de ser referência nacional pelo pioneirismo nas ofertas do modelo SaaS (do inglês Software as a Service) e no conceito nuvem para diversas áreas, tais como energia, transporte, administração pública, manutenção, entre outras.

Com cerca de 80 clientes ativos, entre eles Alusa, UHE Belo Monte, Cushman & Wakefield, Duke, Fecomércio, Rumo, Schahin e Raízen, a Construtivo.com se tornou uma das principais empresas voltadas para o gerenciamento de processos com especialização em engenharia civil do país.

Detentora de um portfólio completo de soluções colaborativas e de computação gráfica, a meta da companhia é manter-se em evidência entre os fornecedores de tecnologia para o mercado de engenharia civil e arquitetura, estimulando a realização de pesquisas acadêmicas focadas na melhoria da coordenação de projetos e na qualidade das obras, além de expandir o uso de sua aplicação para outros setores, como infra-estrutura, gerenciadores de obras, energia, varejo, entre outros. Mais informações: www.construtivo.com